Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
13/07/20 às 9h47 - Atualizado em 22/07/20 às 18h28

21/07

COMPARTILHAR

 

G1 – Após denúncias de ameaças, GDF permite mudança no local de trabalho de conselheiros tutelares

A Secretaria de Justiça e Cidadania do Distrito Federal (Sejus) regulamentou medidas de proteção aos conselheiros tutelares ameaçados em decorrência das funções do cargo. De acordo com portaria, publicada nesta terça-feira (21) no Diário Oficial do DF, há possibilidade de mudança do endereço de trabalho.

 

Agência Brasília – Sejus adota medidas para proteger conselheiros tutelares

– “A segurança dos conselheiros tutelares é uma das nossas prioridades. Eles exercem uma função de extrema relevância na sociedade e estão na linha de frente quanto à proteção de meninas e meninos em situação de violência”, declara a secretária de Justiça e Cidadania, Marcela Passamani.

 

Metrópoles – GDF publica medidas de proteção a conselheiros tutelares ameaçados

A Secretaria de Justiça regulamentou, nesta terça-feira-feira (21/07), medidas de proteção a serem adotadas em caso de grave ameaça a conselheiro tutelar, em razão de sua atuação funcional. Em alguns casos, as vítimas poderão migrar para o teletrabalho, conforme adiantou reportagem do Metrópoles.

 

Pelo Mundo -Sejus lança cartilha de prevenção a acidentes domésticos

Estudos que mostram que 90% dos acidentes podem ser evitados com medidas simples de prevenção, que envolvem supervisão de adultos e mudança do ambiente frequentado pela criança. “Para isto, precisamos que as informações corretas cheguem às famílias, para que haja uma mudança de comportamento em que o centro das atenções seja a proteção integral da criança e adolescente”, afirmou a secretária, Marcela Passamani.

 

Blog Chiquinho Dornas-Sejus adota medidas para proteger conselheiros tutelares

“A segurança dos conselheiros tutelares é uma das nossas prioridades. Eles exercem uma função de extrema relevância na sociedade e estão na linha de frente quanto à proteção de meninas e meninos em situação de violência”, declara a secretária de Justiça e Cidadania, Marcela Passamani.