Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
14/08/20 às 13h15 - Atualizado em 1/09/20 às 16h48

26/08

COMPARTILHAR

Correio Braziliense-População em situação de rua recebe orientação e atendimento no SCS

Outro serviço na ação é o atendimento a dependentes químicos. Rodrigo Barbosa da Silva, subsecretário de Enfrentamento às Drogas da Secretaria de Justiça, explicou que no estande da Sejus são ofertados todos os tipos de políticas públicas de atendimento contra álcool e drogas. Aqueles que querem um tratamento são destinados a casas de acolhimento, mas há também os que buscam orientações e encaminhamentos aos Centros de Atendimento Psicossocial (CAPS). Faz-se respeitar a vontade de pessoa e, em todos os casos, elas são ouvidas e informadas sobre as opções que têm. “A Secretaria de Justiça oferece 12 comunidades terapêuticas parcerias. A gente faz a interlocução com a comunidade que informa a vaga e o encaminhamento necessário para pessoa ser acolhida lá”, disse.

 

Agência Brasília -Acolhimento da população em situação de rua no SCS

“Estamos aqui para garantir dignidade e direitos humanos para essa população do Setor Comercial. Oferecer uma oportunidade nas comunidades terapêuticas para aqueles que precisam e querem se livrar do uso de drogas. Nos importamos com eles e oferecemos a oportunidade para mudarem de vida”, explica a chefe da Sejus, Marcela Passamani.

 

Pelo Mundo – Acolhimento da população em situação de rua no Setor Comercial Sul 

“Estamos aqui para garantir dignidade e direitos humanos para essa população do Setor Comercial. Oferecer uma oportunidade nas comunidades terapêuticas para aqueles que precisam e querem se livrar do uso de drogas. Nos importamos com eles e oferecemos a oportunidade para mudarem de vida”, explica a chefe da Sejus, Marcela Passamani.

 

Correio Braziliense- Conheça histórias de venezuelanos que vieram para Brasília em busca de uma vida digna

Todos os anos, refugiados chegam ao Distrito Federal em busca de oportunidades de emprego e melhor qualidade de vida. Segundo a Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejus), não há um número oficial de refugiados na capital, devido a muitos viverem na “invisibilidade”, com medo de estar no país de forma irregular. “Há ainda a questão de que hoje o Distrito Federal conta com várias outras instituições (Defensoria Pública, Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (Acnur), Cáritas Internacional, Instituto Migrações e Direitos Humanos (Imdh), e outros entes da sociedade que prestam apoio a migrantes e refugiados, ficando assim pulverizado os números, suas identidades e suas localizações”, explicou a pasta. Mas, segundo o Observatório das Migrações Internacionais (OBmigra), há entre 5 e 15 mil migrantes de longo termo (tempo de residência superior a um ano) no DF.

 

Agência Brasília – Praça dos Direitos inicia atendimento para idosos nesta quinta (27)

“Queremos estar próximos da população, levando nossos serviços até as cidades. A nossa meta é atender o maior número possível de idosos. É um trabalho de cuidado, atenção e acolhimento com essas pessoas que, mais do que nunca, precisam do nosso apoio”, explicou a secretária Marcela Passamani.

 

Os Divergentes – Acolhimento da população em situação de rua no Setor Comercial Sul

“Estamos aqui para garantir dignidade e direitos humanos para essa população do Setor Comercial. Oferecer uma oportunidade nas comunidades terapêuticas para aqueles que precisam e querem se livrar do uso de drogas. Nos importamos com eles e oferecemos a oportunidade para mudarem de vida”, explica a chefe da Sejus, Marcela Passamani.

 

Metrópoles-Começa atendimento médico para idosos na Praça dos Direitos, em Ceilândia

“Queremos estar próximos da população, levando nossos serviços até as cidades. A nossa meta é atender o maior número possível de idosos. É um trabalho de cuidado, atenção e acolhimento com essas pessoas que, mais do que nunca, precisam do nosso apoio”, explicou a secretária de Justiça e Cidadania, Marcela Passamani.

 

Agência Brasília – Pessoas em situação de rua já usufruem dos serviços do GDF

“Estamos nessa ação conjunta com vários órgãos do GDF para auxiliar as pessoas que buscam um caminho para recuperação, fazendo o acolhimento nas Comunidades Terapêuticas parceiras. Eles vivem um uma situação de extrema vulnerabilidade. Por isso, nós, enquanto governo, precisamos nos unir para cuidar deles, com respeito, dignidade e garantindo seus direitos básicos”, ressalta  a secretária de Justiça, Marcela Passamani.

 

Pelo Mundo – Pessoas em situação de rua já usufruem dos serviços do GDF

“Estamos nessa ação conjunta com vários órgãos do GDF para auxiliar as pessoas que buscam um caminho para recuperação, fazendo o acolhimento nas Comunidades Terapêuticas parceiras. Eles vivem um uma situação de extrema vulnerabilidade. Por isso, nós, enquanto governo, precisamos nos unir para cuidar deles, com respeito, dignidade e garantindo seus direitos básicos”, ressalta  a secretária de Justiça, Marcela Passamani.

 

Chiquinho Dornas – Praça dos Direitos da Ceilândia, começa nesta quinta-feira, “Atendimento para idosos”

A Ceilândia é a primeira cidade a receber o programa, que começou no último dia 21, no CEU das Artes, na QNR 02. Nesse endereço, o atendimento segue até sexta-feira (28). Segundo a secretária de Justiça e Cidadania, Marcela Passamani, outras Regiões Administrativas também serão beneficiadas. “Queremos estar próximos da população, levando nossos serviços até as cidades. A nossa meta é atender o maior número possível de idosos. É um trabalho de cuidado, atenção e acolhimento com essas pessoas que mais do que nunca precisam do nosso apoio”, explicou Passamani.