Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
8/10/19 às 10h01 - Atualizado em 9/10/19 às 15h24

Campanha de enfrentamento às drogas nas escolas visa combater “aviãozinho”

COMPARTILHAR

 

“Um adolescente de 12 anos de idade me confidenciou que está sendo obrigado a levar drogas para os colegas dentro da escola”, disse uma orientadora educacional. “Estou com um caso de um adolescente que sustenta a família vendendo drogas na escola. O diretor me procurou porque o estudante quer sair dessa situação, mas é obrigado pela família. Ele tem medo de apanhar dos pais e dos tios”, confessou o coordenador de uma regional de ensino.

 

Esses são alguns dos relatos de dirigentes de escolas do Distrito Federal feitos às equipes da Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejus), que iniciou neste mês de outubro uma campanha nas escolas contra a exploração infantil no tráfico de drogas. A Secretaria de Educação é parceira da iniciativa.

 

A campanha pretende alcançar toda a rede de ensino de modo que a comunidade escolar possa trabalhar o tema de maneira preventiva e mapear situações de risco onde outros atores serão acionados em situações necessárias, de acordo com cada caso.

 

Para o secretário da Sejus, Gustavo Rocha, é muito grave a drogadição dentro das escolas, por isso é fundamental as parcerias para alcançar melhor resultado. Ele alerta que a participação dos familiares na iniciação das crianças no tráfico é “algo gravíssimo e é nesse momento que ações transversais devem ser executadas, para cumprir o dever constitucional do Estado em relação às crianças e adolescentes”.

 

Para o subsecretário de Enfrentamento às Drogas da Sejus, Rodrigo Barbosa, “a educação garante uma função importante de proteção, reforçando a capacidade dos estudantes de enfrentar e superar situações como a de oferta das drogas”.

 

Campanha – A campanha vai trabalhar, amplamente, mensagens de alerta e educativas nas escolas públicas do DF. A Secretaria de Educação está enviando uma circular orientadora a todas as regionais de ensino, sobre a importância de cada escola trabalhar a linguagem em suas unidades. A Sejus estará incluindo essas mesmas mensagens em suas ações.

 

A campanha propõe duas mensagens principais. A primeira é orientar as crianças quanto a não conversar com estranhos, não aceitar comida nem bebida de pessoas desconhecidas, não ir a lugares desconhecidos sem autorização e não entregar qualquer mercadoria desconhecida ou suspeita a outras pessoas, principalmente, em troca de pagamentos. A outra mensagem é trabalhar o conceito do termo “aviãozinho” no tráfico de drogas, palavra que designa a pessoa (geralmente, uma criança ou um adolescente) que leva drogas para um comprador e volta com o dinheiro para o traficante.

 

Para o subsecretário de Educação Básica, Helber Vieira: “o enfrentamento ao aliciamento de crianças pelo tráfico é um dos maiores desafios postos ao poder público. Esse modo de exploração configura umas das piores formas de trabalho infantil. Crianças e adolescentes nessa situação não devem ser vistos como “infratores”, mas como vítimas, o que chama a atenção para a necessidade de ações de proteção e prevenção”.

 

Nesta semana, três escolas serão contempladas com ações de prevenção nas regiões de São Sebastião, Fercal e Lago Norte. Simbolicamente, o evento de lançamento acontecerá no CEF 01 do Varjão, na próxima sexta-feira (11/10) no período matutino.