Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
4/12/19 às 16h22 - Atualizado em 4/12/19 às 16h23

Feira de Talentos de Natal acontece nesta quinta-feira (05) e visa empoderar mulheres vítimas de violência

COMPARTILHAR

 

A Secretaria de Estado de Justiça e Cidadania (Sejus), em parceria com a Companhia do Metropolitano do Distrito Federal (Metrô-DF), realizará nesta quinta-feira, 5/12, a “Feira de Talentos de Natal”. O evento faz parte do Projeto Banco de Talentos, do Programa Pró-Vítima e acontecerá na Estação Shopping do Metrô do DF, das 8 às 18 horas.

 

A Feira de Talentos de Natal contará com a exposição de serviços e produtos comercializados pelas mulheres vítimas de violência acolhidas nos núcleos do Pró-Vítima, como roupas, bolos, bijuterias, bolsas, sapatos, refeições, sucos, salgados, doces, trufas, cosméticos, perfumaria. Todo o lucro decorrente das vendas será destinado, única e exclusivamente, àquelas que participarem da feira.

 

Pró- Vítima

 

O Programa é gerenciado pela Subsecretaria de Apoio a Vítimas de Violência da Sejus e tem como objetivo prestar atendimentos de psicologia e de serviço social a vítimas que sofrem atos de violência. No âmbito do programa foi desenvolvido o Projeto Banco de Talentos, para apoiar o empreendedorismo e empoderar economicamente as mulheres vítimas de violência, por meio da promoção da Feira de Talentos, da oferta de capacitação, da assessoria para ingresso no mercado de trabalho e da realização de oficinas de geração de renda.

 

Dados apontam que a dependência financeira tem uma relação direta com casos de violência doméstica, pois faz com que as vítimas sigam no relacionamento, mesmo que estejam claros os sinais de que romper a relação com o agressor seja necessária.

 

Os serviços oferecidos pelo Pró-Vítima são gratuitos, para todas as pessoas, independentemente de idade, identidade de gênero, condição social e ocorrem em núcleos localizados em Ceilândia, Planaltina, Paranoá, Guará, Taguatinga e na Rodoferroviária. A vítima de violência pode buscar os núcleos de forma espontânea ou ser encaminhada por instituições e/ou autoridades públicas, assim como por amigos, parentes ou pessoas da comunidade.