Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
16/07/19 às 19h43 - Atualizado em 22/07/19 às 17h19

GDF e CNJ fazem parceria para promoção de cidadania aos egressos do sistema prisional e do socioeducativo

COMPARTILHAR

 

Foto: Geolando Gomes – Ascom/Sejus

O Secretário de Justiça e Cidadania do Distrito Federal (Sejus-DF), Gustavo Rocha, assinou nesta terça-feira (16) acordo de cooperação técnica com o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e outros órgãos do Governo do Distrito Federal para desenvolver um aplicativo de apoio aos egressos do sistema prisional e do socioeducativo.  A ferramenta permitirá que eles tenham acesso a  oportunidades de emprego e qualificação profissional, além de enviar alertas e informações referentes a seus processos.

 

Segundo o Secretário, essa parceria representa uma importante estratégia para a ressocialização das pessoas que já cumpriram suas obrigações com a justiça e retornarão ao convívio social. “A união de esforços para promoção da cidadania e garantia dos direitos das pessoas que já cumpriram suas penas ou medidas socioeducativas é fundamental no processo ressocialização e construção de novas trajetórias de vida”, afirmou Gustavo Rocha.

 

O aplicativo será desenvolvido no segundo semestre deste ano para ser testado em formato piloto no DF. Ao assinar o documento, o Governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, afirmou que sua gestão está empenhada em fazer do DF um modelo para o restante do país. “Vamos nos esforçar muito porque não temos um depósito de gente. Temos o compromisso de trazer essas pessoas novamente para a sociedade. Eu acredito na ressocialização como única forma para reinserir esse grupo na sociedade”, afirmou.

 

Além de possibilitar a ressocialização e de trazer mais dignidade para os egressos, essa parceria poderá impactar também na redução da violência, ao permitir que essas pessoas encontrem caminhos longe da criminalidade. É o que acredita o presidente do CNJ e do Supremo Tribunal Federal, Ministro Dias Toffoli. “Temos que superar o pensamento de que aquele que cometeu um delito deve ser um pária da sociedade para sempre”, defendeu. “É em prol de toda a sociedade que medidas precisam ser garantidas para que os egressos possam reconstruir suas vidas e contribuir de forma ativa para edificar uma nova nação com menos criminalidade e mais cidadania. O acordo assinado hoje surge como uma dessas medidas”, acrescentou Toffoli.

 

O documento foi assinado também pelo Secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação do DF, Gilvan Máximo, o Secretário de Segurança Pública, Anderson Gustavo Torres, e pelo Diretor-Presidente da FAP-DF, Alexandre André dos Santos.