Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
17/01/18 às 18h28 - Atualizado em 25/01/18 às 16h00

Inaugurado Núcleo Psicossocial para atendimento aos familiares de dependentes químicos

por Regina Amaral

 

A Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejus) inaugurou o Núcleo de Atenção Psicossocial (NAPS), que irá atender, a partir de agora, as famílias de dependentes químicos, prestando informações, fazendo acolhimento e orientação, com informações a respeito da doença.

 

A equipe multiprofissional do novo órgão é formada pela coordenadora Andressa de Queiroz, a psicóloga Ludmila, a assistente social Ingrid e duas estudantes da Universidade de Brasília (UnB), Ester Borges e Amanda Alves, que foram apresentadas, durante a cerimônia, pelo secretário de Justiça, Francisco da Silva.

 

Durante a inauguração do novo espaço, o líder do governo, deputado Agaciel Maia, presente à cerimônia, lembrou que “é importante ter a visão do problema enfrentado pelas autoridades e familiares com relação à dependência química”, em referência aos argumentos apresentados pela promotora de Justiça do Ministério Público do DF, Carolina Rebelo Soares, de que toda a família sofre em conjunto com o adicto.

 

Maia lembrou que tratar a dependência química é um trabalho difícil, mas importante para ajudar os jovens a se manterem longe das drogas e do álcool. “Na década de 80, iniciamos, na Gráfica do Senado, um trabalho com jovens que moravam na Vila Planalto. Ensinamos a eles a profissão de gráfico e esses rapazes – 25 inicialmente – hoje são profissionais de primeira linha, com famílias constituídas”, contou o deputado Agaciel, lembrando que muitas pessoas não acreditavam na iniciativa, mas que foi a partir dessa experiência que nasceu a lei do Menor Aprendiz. “Aqui no DF, criamos o programa Jovem Candango, onde adolescentes conseguem seu primeiro emprego, com carteira assinada. Vários Estados já copiaram nossa iniciativa”, disse.

 

Para o líder do governo, é importante que haja uma política permanente de Estado, assim como uma linha orçamentária. “Acredito que é preciso que tenhamos uma Política de Estado e não de governo. Ninguém gosta de tratar esse assunto mas, principalmente, o álcool, é uma cultura que está entranhada em nossa sociedade e causa muitas vítimas. Sabemos que o alcoolismo é uma doença e por isso mesmo temos que começar com a prevenção, lá na escola”.

 

O secretário interino de Justiça e Cidadania, Francisco de Assis Silva (Chicão), lembrou que pasta sempre realizou trabalhos “com o intuito de melhorar o serviço de enfrentamento à dependência química”. Para o secretário, a orientação e o acolhimento, que agora serão estendidos aos familiares, constituem uma das ferramentas mais importantes na mão do Estado. Em sua fala, Chicão antecipou que além do atendimento presencial, o NAPS contará com um Disque-Ajuda.

 

O evento contou ainda com a presença do presidente do Grupo de Prevenção do Uso de Drogas da Polícia Federal, Eduardo Araújo, do presidente do Conselho de Políticas Sobre Drogas (CONEN), Anderson Moura, da promotora do Ministério Público do DF, Carolina Soares, do fundador do Grupo Salve a Si, José França, a presidente da Associação das Comunidades Terapêuticas, Areolenes Nogueira, do representante do CAPs, Leandro Almeida, do terapeuta holístico, Marcos Aurélio, da psicóloga Elyn Magalhães, da presidente do grupo Al-Anon, Maria Souza, o representante do grupo de Alcóolicos Anônimos, Joel Januário, o representante do grupo de Narcóticos Anônimos, Salviano.