Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
2/07/19 às 15h17 - Atualizado em 2/07/19 às 15h17

Laboratório de inclusão digital vai beneficiar jovens do sistema socioeducativo

COMPARTILHAR

 

Foi inaugurado na segunda-feira (1/7) o Laboratório de Inclusão Digital, Qualificação Profissional, Tecnológica e Cidadania que irá promover ações para públicos vulneráveis, com prioridade de atendimento aos adolescentes e jovens, em especial os usuários do sistema socioeducativo, assistidos pela Subsecretaria do Sistema Socioeducativo da Secretaria de Justiça e Cidadania do DF (Sejus). Além daqueles em situação de acolhimento institucional, terão prioridade a comunidade surda.

 

A ação é resultado de uma parceria do Ministério Público do Trabalho, do Distrito Federal e Tocantins (MPT DF/TO) – por intermédio da Coordenadoria de Combate à Exploração do Trabalho da Criança e do Adolescente e o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial do DF (Senai). O ato foi realizado na sede da Escola de Assistência Jurídica da DPDF (Easjur) e contou com a participação do Subsecretário do Sistema Socioeducativo da Sejus, Demontiê Alves e representantes das instituições parceiras.

 

“Por meio dessa iniciativa, serão ampliadas as qualificações profissionais e, consequentemente, as oportunidades de inserção no mercado de trabalho, essenciais para que os jovens atendidos pelo Sistema Socioeducativo repensem sua trajetória e não reincidam no cometimento do ato infracional”, afirmou Demontiê Alves.

 

O subdefensor público-geral do DF, Danniel Vargas também elogiou a iniciativa: “Hoje nós temos a oportunidade de celebrar a existência do nosso Laboratório de Inclusão Digital. Esse é um momento muito feliz para nós e ele não seria possível sem o encontro de propósitos e esforços de todas as autoridades aqui presentes. Estamos revolucionando o sistema socioeducativo para que seja possível, verdadeiramente, socioeducar “.

 

Para a Procuradora do Trabalho e coordenadora Regional de Combate à Exploração do Trabalho da Criança e do Adolescente, Ana Maria Villa Real, o projeto é de fundamental importância. “A possibilidade de inclusão social e profissional, potencializará o exercício da cidadania por jovens e adolescentes que não tiveram oportunidades, porque foram frutos do desamparo”.

 

A meta é capacitar o maior número de pessoas por meio de cursos teóricos e práticos de qualificação profissional, voltados para a inclusão digital dos alunos e desenvolvimento de habilidades técnicas de informática. O desenho curricular das atividades, a coordenação dos cursos e o acompanhamento pedagógico dos alunos matriculados será de responsabilidade do Senai/DF, que também emitirá os certificados aos participantes.