Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
8/02/19 às 15h28 - Atualizado em 19/02/19 às 17h40

Secretaria defende fortalecimento de mecanismos contra intolerância religiosa

COMPARTILHAR

 

Foto: Geolando Gomes – Ascom/Sejus

 

A Secretaria de Justiça e Cidadania do Distrito Federal participou da mesa de debates sobre a “Semana Mundial de Harmonia Inter-religiosa”, realizada na quinta-feira (7), na Câmara Legislativa do DF. A atividade foi instituída pela Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO), agência da Organização das Nações Unidas (ONU). A data é celebrada mundialmente na primeira semana de fevereiro de cada ano, desde 2010 e nasceu com a perspectiva de fomentar o diálogo e a cooperação religiosa. Representantes de diversas religiões estiveram presentes ao debate.

 

O subsecretário de Direitos Humanos da Sejus, Juvenal Araújo, presente ao evento, afirmou  que há necessidade de se falar da diversidade religiosa por conta dos ataques de intolerância ainda existentes no país e para incentivar a cultura da paz e da harmonia inter-religiosa. “Temos que mostrar a necessidade de se fortalecer os mecanismos contra a intolerância, como as associações, os comitês, os conselhos, entre outros. É preciso para que seja assegurada a liberdade religiosa dos moradores do Distrito Federal e Entorno”, explicou.

 

Juvenal defendeu a criação de um mecanismo permanente e efetivo para promover ações e a reflexão sobre a necessidade de uma cultura de paz entre as pessoas. Defendeu ainda que é possível que as pessoas convivam como irmãos, em harmonia, para que haja união contra a intolerância, pela diversidade religiosa. “O respeito aos direitos humanos é o caminho para construir essa harmonia”, disse.

 

Também presente ao evento, o subsecretário de Igualdade Racial da Sejus, Diego Moreno, ressaltou que muitas pessoas não respeitam as diferenças. E, por isso, acontece a violência. O subsecretário acredita que um evento como este serve para provar que é possível estar no mesmo ambiente, com pessoas de diferentes religiões, para discutir a diversidade religiosa. “É importante para ter uma escuta qualificada e com isso ter condições, no futuro, de monitorar o que foi feito e eventualmente apresentar propostas para que o legislativo possa contribuir”, afirmou.

 

Membro do Comitê Nacional de Respeito à Diversidade Religiosa do Ministério de Direitos Humanos – também responsável pela organização do evento junto com a Sejus -, Elianildo Nascimento explicou que a religião tem motivado a violência por conta da intolerância. “Existem guerras, mortes, perseguições. Portanto, esses debates servem para fortalecer os laços, combater a discriminação religiosa, e buscar a construção da paz, da harmonia e do respeito”.

 

Participaram da mesa de debates na Câmara Legislativa o subsecretário de Direitos Humanos da Sejus, Juvenal Araújo; o subsecretário de Igualdade Racial da Sejus, Diego Moreno; o presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara Legislativa do DF, Fábio Félix; a Conselheira Global da United Religions Iniciative, Salette Aquino; representando a sociedade civil, Hoeck Miranda, do Comitê Distrital de Diversidade Religiosa; e o assessor de Assuntos Reliogiosos do DF, Kildere Meira.