Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
24/10/19 às 17h09 - Atualizado em 24/10/19 às 17h09

Sejus e embaixada da Bélgica promovem diálogo pelo enfrentamento à violência contra a mulher

COMPARTILHAR

A Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejus), com o apoio da embaixada da Bélgica, realiza nesta sexta-feira (25/10) o encontro “Diálogos pelo Enfrentamento às Violências” para debater políticas públicas relativas à violência sexual contra mulheres. A iniciativa se dará a partir do documentário belga “O que não mata”, produzido pela cineasta Alexe Poukine, que estará presente no local para apresentação do filme e para a abertura do evento.

 

O evento, que acontece a partir das 8h30, na sede da embaixada – SES 809, Lote 32, Av. das Nações – é destinado aos servidores do GDF e de órgãos parceiros que atuam com a temática de enfrentamento à violência contra a mulher. A abertura contará também com a presença do embaixador da Bélgica no Brasil, Patrick Herman.

 

A cineasta – Alexe Poukine, nascida em 1982, é escritora. Depois de cursar teatro, ela estuda etnologia, documentários e escritura cênica. “Pequenas mortas”, seu filme de trabalho final de curso, foi selecionado para vários festivais internacionais. Seu primeiro documentário longa-metragem, “Dormir, dormir nas pedras”, foi exibido em inúmeros festivais em 2013. Paralelamente às gravações de seu segundo documentário “O que não mata”, ela está escrevendo um longa-metragem de ficção.

 

Programação – A programação do evento prevê inicialmente a apresentação de três curtas metragens, que são fragmentações do conteúdo do documentário belga, com depoimentos de advogados, psicólogos, agentes de polícia e profissionais que atuam na área sobre os temas: atendimento médico e legal a mulheres vítimas de estupro, cultura do estupro e mecanismo defensivo de dissociação apresentado por mulheres vítimas de estupro.

 

Depois dos vídeos será aberta uma mesa de debates sobre políticas públicas para mulheres vítimas de violência sexual, com a participação de Ben-Hur Viza, juiz titular do Juizado de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher do Núcleo Bandeirante e coordenador do Núcleo Judiciário da Mulher do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT); de Grace Justa, Diretora de Políticas de Enfrentamento à Violência Contra as Mulheres da Secretaria Nacional de Políticas para as Mulheres do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos; de Elizabeth Maulaz, chefe do Núcleo de Estudos, Prevenção e Atenção às Violências da Secretaria de Saúde do DF. A mediação será realizada pela psicóloga Sueli Vieira, Diretora de Atendimento a Vítimas de Violência da Subsecretaria de Apoio a Vítimas de Violência (Subav) da Secretaria de Justiça.

 

Após o debate, às 12h, será exibido o conteúdo integral do documentário “O que não mata”, que conta a história da adolescente Ada, de 19 anos, vítima de estupro por um homem que ela conhecia. O documentário chama a atenção para o fato de que em 80% dos casos de estupro, a vítima conhece o agressor e 1/3 dessas violações ocorrem entre casais.