Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
18/09/19 às 17h19 - Atualizado em 18/09/19 às 17h19

Sejus lança ação de prevenção às drogas em ambiente de trabalho

COMPARTILHAR

 

O consumo descontrolado de substâncias psicoativas se reflete em faltas e atrasos no trabalho, diminuição da produtividade, aumento das dificuldades de relacionamento com colegas e chefias. Este foi um dos pontos do estudo apresentado nesta quarta-feira (18/09), pela Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejus), através da subsecretaria de Enfrentamento às Drogas (Subed), em uma empresa de produtos de limpeza e outros, no entorno de Brasília, para cerca de 700 funcionários.

 

O documento apresentado pelos servidores da Sejus mostrou aos técnicos da empresa que devido à grande quantidade de pessoas que fazem uso abusivo de drogas no Brasil, fato documentado nos estudos epidemiológicos, pode-se supor que as repercussões negativas descritas como decorrentes do uso indevido representam gigantesca perda de produtividade para as pessoas envolvidas, para as empresas e para o país.

 

Diante deste contexto, e para orientar funcionários e gerentes sobre esta temática, a Sejus, através da Subed, lançou nesta quarta-feira outra extensão do Programa: Drogas Prevenção e Ação no Trabalho. O objetivo é levar orientação ao trabalhador em suas atividades laborais. Para o subsecretário da Subed, Rodrigo Barbosa, esta é mais uma iniciativa importante de conscientização das pessoas para os malefícios causados pelo uso abusivo de drogas, como o álcool. Além do mais, alerta “o uso crônico do álcool está associado a múltiplas doenças potencialmente letais”.

 

Dados – Pelos dados apresentados na capacitação, as alterações das habilidades psíquicas provocadas por intoxicação, abstinência, quadros psicóticos ou outros transtornos mentais interferem de modo marcante na produção de trabalhadores de todas as áreas e envolvem igualmente pessoas com baixa ou alta posição nos escalões profissionais.

 

Entre os dados examinados, o álcool (56,7%) seguido da cocaína (20,1%) são as drogas responsáveis pelo maior número de afastamentos do trabalho. No caso da cocaína, no entanto, chama a atenção que embora a prevalência do uso na vida desta substância não chegue a 3% da população entre 12 e 65 anos (CARLINI et al., 2007), a substância é responsável por mais de um quinto dos afastamentos do trabalho relativos ao uso de drogas.

 

A maior parte dos afastamentos do trabalho se dá na faixa etária que vai dos 20 aos 49 anos, ou seja, justamente nos anos mais produtivos da vida do trabalhador.