Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
22/09/20 às 15h10 - Atualizado em 22/09/20 às 15h44

Sejus marca presença na entrega do prêmio de Fotografia inclusiva no Buriti

COMPARTILHAR

 

A secretária de Justiça e Cidadania, Marcela Passamani, participou nesta segunda-feira (21) da cerimônia de premiação do 1º Concurso de Fotografia Inclusiva do DF, realizada no Salão Nobre do Palácio do Buriti, pela Secretaria Extraordinária da Pessoa com Deficiência.

 

Ao lado do governador Ibaneis Rocha e dos secretários da Casa Civil, Gustavo Rocha, e da Pessoa com Deficiência, Rosinha da Adefal e do deputado distrital Iolando Almeida, a secretária Marcela Passamani prestigiou os três primeiros colocados no concurso, que trouxe o tema “Inclusão, acessibilidade e cidadania da pessoa com deficiência: um processo contínuo na sociedade”.

 

“Nós da Secretaria de Justiça e Cidadania também temos o compromisso com a pauta da pessoa com deficiência no DF. Isso porque acreditamos na união de esforços para garantir respeito, dignidade e qualidade de vida à nossa população”, destacou.

 

Os vencedores receberam troféus e premiações de R$ 1,5 mil (primeiro lugar), R$ 1 mil (segundo lugar) e R$ 500 (terceiro lugar). A organização recebeu mais de 150 inscrições e selecionou 30 imagens para compor uma exposição itinerante que percorrerá diversas regiões administrativas do DF. Todas as imagens escolhidas foram feitas por câmeras de celular.

 

As mulheres e as meninas são as principais vítimas do tráfico de pessoas para exploração sexual em todo o mundo. Para chamar a atenção da sociedade para este grave problema vários países se unem neste dia em ações de conscientização sobre o tema.

 

E como nós atuamos aqui no DF, por meio da nossa Subsecretaria de Apoio às Vítimas de Violência, para a prevenção do tráfico humano decidimos aderir a esta causa. Acreditamos que o acesso à informação e aos canais de denúncia é a melhor forma de proteção às nossas mulheres e meninas.

Fique atento! Tráfico de pessoas não é um mito, é real. E para combater este crime, precisamos das suas denúncias.