Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
6/11/19 às 16h15 - Atualizado em 6/11/19 às 16h15

Sejus participa de simpósio internacional sobre questões étnico-racial, de gênero e religiosa

COMPARTILHAR

 

A Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejus) esteve representada no Simpósio Internacional “Indígena, Negro/a, Quilombolas e Religioso/a de Matriz Africana: Preconceito, Racismo, Discriminação e seus reflexos nas relações de Trabalho, Produção e Consumo” que teve início na terça-feira (5/11) e prossegue até sexta-feira (8/11).

 

O evento, que acontece com apoio da Sejus, é promovido pela Escola Superior do Ministério Público da União (ESMPU) e pelo Ministério Público do Trabalho (MPT). Conta ainda com respaldo da Organização Internacional do Trabalho (OIT) e do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF).

 

Esta é a segunda edição nacional e a primeira internacional desta ação, que tem como objetivo promover um debate sobre os desafios para a superação de estigmas étnico-raciais, de gênero e religiosos. O simpósio busca ainda discutir a relação entre raça, gênero, religiosidade, violência e assédio no mundo do trabalho e das relações de produção e consumo, adotando como marco normativo as Convenções 169 e 190 da OIT, e demais normativas internacionais e nacionais aplicáveis à espécie.

 

“Não tem como falar de enfrentamento ao racismo se não cobrarmos dos gestores públicos a criação de políticas públicas eficientes, a criação de conselhos e de órgãos de Igualdade Racial”, afirmou o subsecretário de Direitos Humanos e Igualdade Racial da Sejus, Juvenal Araújo, que participou da abertura do evento.

 

Conclave – Durante o simpósio serão realizados grandes e mini plenárias temáticas sobre escravidão e reparação; preconceito, racismo e discriminação nas relações de trabalho; produção e consumo. Concomitantemente às atividades, nos dias 6 e 7 de novembro será realizado o 1º Conclave Acadêmico Internacional sobre os temas relacionados.

 

O simpósio Internacional é gratuito e dá direito a certificado. Podem participar membros e servidores do Ministério Público, da Magistratura, da Defensoria Pública, de órgãos das administrações públicas federal, estadual e municipal, coletivos representativos de povos originários, quilombolas, religiosos de matriz africana, entidades representativas dos setores patronal e de trabalhadores, organizações da sociedade civil, dentre outros.

 

O evento prossegue até o dia 8 com mesas de debate, apresentações culturais, palestras, oficinas e painéis na Procuradoria Geral do Trabalho, auditório do Centro Empresarial CNC, SAUN, quadra 5, lote C, 2º subsolo.