Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
9/03/20 às 17h39 - Atualizado em 9/03/20 às 17h43

Sejus promove ações de cidadania e acolhimento para mulheres na Rodoviária

COMPARTILHAR

 

As mulheres que passaram, nesta segunda-feira (9), pela Rodoviária do Plano Piloto tiveram a oportunidade de receber atendimento jurídico, social e psicológico, cortar o cabelo e aferir a pressão arterial e glicemia. As atividades foram organizadas pela Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejus), em comemoração ao Dia Internacional da Mulher, e contaram com a presença da advogada Marcela Passamani. O evento também ofereceu aos participantes uma programação cultural com apresentação das crianças da oficina de música da Casa Azul Felipe Augusto de Samambaia.

 

“Eu estava vindo de uma consulta no Hospital de Base, quando vi este evento. Amei participar. Cortei o cabelo e vi como está minha pressão”, disse a moradora do Sol Nascente Maria Ivone de Freitas, 71 anos, que passou pelas atividades antes de pegar o ônibus de volta para a casa. Para Leusa Ribeiro, 56 anos, foi um momento de resgate da autoestima. “Cortei o cabelo e me produziram para tirar fotos. Foi maravilhoso! Como estou desempregada e não tenho renda, foi bom para melhorar a autoestima e me sentir mais feliz”, avaliou.

 

Realizada lado da Administração da Rodoviária do Plano Piloto, a ação levou uma equipe de psicólogos e assistentes sociais do Pró-Vítima, programa da Subsecretaria de Apoio a Vítimas de Violência da Sejus, além de profissionais do Instituto Kalile, da Escola de Psicanálise de Brasília e da Subsecretaria de Atividade Psicossocial da Defensoria Pública do Distrito Federal. O corte de cabelo foi uma parceria com o Senac. A equipe de profissionais do CIES – Centro de Inovação Educacional em Saúde realizou a aferição de pressão arterial.

 

“A nossa intenção foi proporcionar um dia de cidadania e acolhimento para centenas de mulheres que passam pela Rodoviária do Plano Piloto. Aqui, foi só o primeiro contato para explicar que existe o Pró-Vítima, um programa de atendimento gratuito para pessoas em situação de violência doméstica, intrafamiliar, psicológica, física, sexual e institucional. Elas agora sabem onde e como procurar ajuda”, explicou o subsecretário de Apoio a Vítimas de Violência da Sejus, Diêgo Moreno.

 

Segundo o subsecretário, as vítimas são acolhidas e orientadas sobre seus direitos socioassistenciais, além de participarem de sessões de terapia de apoio individual, com foco na violência vivenciada, para o restabelecimento do equilíbrio mental e emocional. Os serviços do Pró-Vítima são gratuitos, para todas as pessoas, independentemente de idade, identidade de gênero, condição social. Apenas em 2019, foram atendidas 2.824 pessoas em situação de violência.

 

Postos de atendimentos Pró-Vítima:

 

A vítima de violência pode buscar os núcleos de atendimento de forma espontânea ou ser encaminhada por instituições e/ou autoridades públicas, assim como por amigos, parentes ou pessoas da comunidade.

 

Núcleo Ceilândia: Shopping Popular de Ceilândia, espaço do Na Hora – (61) 2104-1480

 

Núcleo Paranoá: Quadra 05, Conjunto 3, Área Especial D, Parque de Obras – (61) 3369-0816

 

Núcleo Taguatinga: Administração Regional de Taguatinga, Praça do Relógio – (61) 3451-2528

 

Núcleo Planaltina: Fórum Desembargador Lúcio Batista Arantes, 1° andar, salas 111/114 – (61) 3103-2405

 

Guará: QELC Alpendre dos Jovens, Lúcio Costa – (61) 99276-3453

 

Núcleo Sede: Estação Rodoferroviária, Ala Central, Térreo – (61) 2104-4289 / 4265

 

 

Veja as fotos do evento

Leia também...