Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
21/01/19 às 18h51 - Atualizado em 21/01/19 às 18h57

Sejus realiza roda de conversa no Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa

COMPARTILHAR

Foto: Geolando Gomes_Ascom/Sejus

 

 

No Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa, comemorado nesta segunda-feira (21), a Secretaria de Justiça e Cidadania promoveu, por meio das Subsecretarias de Direitos Humanos e Igualdade Racial uma roda de conversa para debater a importância do respeito à diversidade de crenças e reafirmar o compromisso com a liberdade religiosa.

 

O evento ocorreu no Parlamundi da Legião da Boa Vontade (LBV), em Brasília, e contou com a presença de diversas lideranças religiosas e políticas, entre elas o subsecretário de Direitos Humanos do Distrito Federal, Juvenal Araújo, o subsecretário de Igualdade Racial do Distrito Federal, Diego Moreno, e a atual diretora de Combate ao Racismo da Subsecretaria de Direitos Humanos da Sejus, Mãe Baiana de Oyá.

 

No encontro, os participantes ressaltaram a preocupação com o crescimento dos atos de intolerância religiosa no país, com uma denúncia a cada 15 horas. Entre os principais alvos estão os adeptos de religiões de matriz africana. O subsecretário de Direitos Humanos, Juvenal Araújo, lamentou os dados e destacou a importância do encontro no sentido de propor ações efetivas de enfrentamento a violência.

 

“Entre 2015 e o primeiro semestre de 2018, foram 1.729 casos de intolerância religiosa – uma média de 42 por mês. Nosso compromisso é fazer do DF uma referência em direitos humanos no Brasil. Temos o dever de atender às pessoas, independentemente de credo, cor, classe social ou orientação sexual. Vamos fazer uma gestão efetiva e permanente, protegendo os direitos humanos acima de tudo”, afirmou.

 

Uma das lideranças religiosas mais atuantes do DF, Mãe Baiana de Oyá também defendeu a luta constante contra o preconceito religioso, que a cada ano faz mais vítimas no Brasil.“Precisamos combater essa intolerância, que já vem nos assolando há muitos anos, principalmente o povo negro. Esse evento vem para combater todo tipo de violência. Cada um de nós tem responsabilidade com o povo que nos segue. Somos exemplo e estamos aqui para discutir ações e lutar para enfrentar essa questão, conduzindo o povo para o caminho da paz”, disse.

 

O subsecretário de Igualdade Racial, Diego Moreno, destacou ainda a relevância do tema para a Sejus. “Queremos construir uma série de ações. A primeira vai ser a reavaliação do Plano Distrital de igualdade racial. Temos eixos da educação à saúde que englobam todas as questões apresentadas hoje”, explicou.

 

Disque 100

 

Com o intuito de implementar políticas públicas que visem à promoção do respeito e da diversidade, o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos disponibiliza o serviço gratuito Disque Direitos Humanos – Disque 100. Com funcionamento 24h por dia, todos os dias da semana, a ferramenta de utilidade pública recebe denúncias de violações de direitos, incluídos os casos de intolerância religiosa.