Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
30/07/21 às 19h19 - Atualizado em 30/07/21 às 19h21

Programa Identidade Cidadã atende mais de 11 mil crianças e adolescentes na Semana de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas

COMPARTILHAR

 

Mais de11 mil crianças e adolescentes foram atendidos nas cinco unidades do Na Hora que atenderam exclusivamente este público na Semana de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas. O Programa Identidade Cidadã integrou as ações da Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejus) de segunda (26) até esta sexta-feira (30).

 

A ação superou as expectativas da pasta e, além da emissão de 2.809 RGs, outros 8.410 atendimentos para crianças e adolescentes foram agendados para outras datas. O serviço foi idealizado pela Sejus em parceria com a Polícia Civil.

 

A Sejus é a pasta que presta apoio e atendimento psicossocial às vítimas de tráfico de pessoas e desenvolve políticas públicas de proteção, além de ser responsável por instituir a rede de enfrentamento ao tráfico de pessoas e promover a capacitação continuada de servidores, membros do Comitê Distrital de Enfrentamento ao Tráfico de Seres Humanos e rede.

 

“Acreditamos que a melhor forma de prevenir este crime é com informação. A identidade é um dos documentos mais importantes para o exercício da cidadania, pois facilita o acesso aos serviços públicos e também significa mais segurança para as nossas crianças e adolescentes, por estarem inseridas nos sistemas de segurança pública”, explicou a secretária de Justiça e Cidadania, Marcela Passamani.

 

Segundo o subsecretário de Modernização do Atendimento Imediato ao Cidadão, Tiago Santana, “a campanha foi um sucesso e superou as expectativas devido à substancial procura do primeiro registro de crianças e adolescentes. Mostrando, assim, a real e urgente necessidade da população.”

 

Dia Mundial de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas

 

O dia 30 de julho foi instituído pela Organização das Nações Unidas (ONU) como o Dia Mundial de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas. Este crime consiste no ato de comercializar, escravizar, explorar e privar vidas, caracterizando-se como uma forma de violação dos direitos humanos.

 

Ele é um crime altamente lucrativo perdendo apenas para o tráfico de armas e de drogas, além de poder estar associado a outras atividades ilícitas, tais como: pedofilia, falsificação de documentos, lavagem de dinheiro, corrupção, extorsão e tráfico de drogas.

 

A Sejus se une aos demais entes federativos com o intuito de chamar a atenção para a importância de conhecer sobre o tráfico de pessoas e debater seriamente sobre políticas públicas efetivas de prevenção, a fim de erradicar esse crime perverso que assola, sobretudo, a parcela mais vulnerável da nossa sociedade, em especial mulheres, crianças e adolescentes e a população LGBTQI+.

 

Canais de denúncia

 

Para alertar e conscientizar a população do DF sobre a gravidade do tráfico humano, a Sejus disponibiliza um canal para prestar informações e receber denúncias deste crime, o Disque 2104-4292.

 

CISDECA: 125 – Para prestar orientações e esclarecimentos quanto aos direitos de crianças e adolescentes, além de registrar, sistematizar e monitorar as denúncias. Funcionamento 24 horas por dia, incluindo finais de semana e feriados.

 

Disque 100 – Disque Direitos Humanos, ou Disque 100, é um serviço de proteção que recebe denúncias de violações de direitos de crianças e adolescentes, pessoas idosas, pessoas com deficiência, população LGBT, população em situação de rua, entre outros. Funciona diariamente, 24 horas por dia, incluindo sábados, domingos e feriados.

 

Ligue 180 – A Central de Atendimento à Mulher – Ligue 180 presta uma escuta e acolhida qualificada às mulheres em situação de violência. A ligação é gratuita e o serviço funciona 24 horas por dia, todos os dias da semana. Atende todo o território nacional e também pode ser acessado em outros países.