Governo do Distrito Federal
25/11/22 às 13h41 - Atualizado em 5/12/22 às 17h17

Sejus divulga violentômetro, ferramenta de prevenção à violência de gênero no DF

O violentômetro poderá ser divulgado em todas as ações que ocorrerem durante os 16 dias de ativismo pelo fim da violência contra a mulher

 

Daniela Uejo – Ascom/ Sejus-DF

Nesta quinta-feira(25) se comemora internacionalmente o dia da Não-Violência contra a Mulher, pensando nesse momento de conscientização, a Secretaria de Estado de Justiça e Cidadania (Sejus), implementa, por meio da Subsecretaria de Apoio a Vítimas de Violência (Subav), a Campanha para divulgação do “violentômetro”, material gráfico informativo, que será utilizado como uma ferramenta de prevenção à violência de gênero, a qual possibilita que as pessoas identifiquem e reconheçam os diferentes tipos e graus  que a violência pode assumir nas relações íntimas de afeto.

 

Para a secretária de Justiça e Cidadania, Marcela Passamani a violência contra a mulher pode acontecer de diversas formas. “Desde piadas ofensivas à ataques físicos. Muitos indivíduos e, principalmente mulheres, não sabem que determinadas ações cometidas dentro dos relacionamentos também são agressões e podem piorar com o passar do tempo.  O “violentômetro”, poderá auxiliar as vítimas a reconhecerem os sinais de violência doméstica para então poder denunciar seus agressores”, pondera.

 

O violentômetro poderá ser divulgado em todas as ações que ocorrerem durante os 16 dias de ativismo pelo fim da violência contra a mulher, no âmbito da Sejus, com o intuito de mobilizar e conscientizar toda a população do Distrito Federal sobre a importância desse tema para a defesa e garantia dos direitos humanos das mulheres.

 

Se faz necessário divulgar  os mecanismos existentes, para coibir situações de violência. Outro fator de suma importância é divulgar à população os serviços existentes de acolhimento e atendimento, como o Programa PRÓ-VÍTIMA.

 

A medida visa encorajar as mulheres a adotar medidas, como a denunciar as situações e até nomeá-las a parentes e amigos próximos e compreender que o que antes compreendiam como mero atrito de casal é sim uma violência e que a denúncia pode  interromper o ciclo de agressão vivenciada.

 

“Acredito que é possível encorajar as mulheres a adotar medidas, evitando continuação ou evolução das agressões que muitas vezes são silenciosas. O Violentômetro é mais uma ferramenta de ajuda para que as vítimas saibam como reconhecer os sinais de violência doméstica que podem estar sofrendo”,  disse a subsecretária de Apoio a Vítimas de Violência, Janandreia de Medeiros.

 

Dessa forma, a Sejus reafirma seu compromisso e sua competência,  no sentido de transformar uma cultura de violência em uma cultura de paz, fortalecendo a prevenção e o enfrentamento da violência contra meninas e mulheres do Distrito Federal.

 

Governo do Distrito Federal