Governo do Distrito Federal
Maria da Penha ONLINE Governo do Distrito Federal
9/05/24 às 12h35 - Atualizado em 10/05/24 às 9h16

Sejus realiza debate sobre o impacto das pesquisas nas práticas socioeducativas

‌Evento apresenta dados e experiências exitosas, nesta quinta (9)

 

Aldenora Moraes, Ascom/Sejus

 

O objetivo do Colóquio é promover um espaço de debate sobre o papel das pesquisas para o desenvolvimento do sistema socioeducativo | Foto: Jhonatan Vieira, Sejus/Ascom

 

O I Colóquio de Pesquisa no Sistema Socioeducativo do Distrito Federal acontece nesta quinta (9), até as 18h, no auditório da Faculdade de Ciência da Informação (FCI) da Universidade de Brasília (UnB). A iniciativa é resultado da articulação entre a Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejus), por meio da Escola Distrital de Socioeducação (EDS) que é vinculada à Subsecretaria do Sistema Socioeducativo (Subsis), e a Faculdade de Educação (FE) da Universidade de Brasília.

 

A comunidade científica tem a oportunidade de dialogar com os atores do sistema socioeducativo e promover a discussão sobre os aspectos éticos da pesquisa e o compartilhamento de medidas adotadas que obtiveram êxito

Marcela Passamani, secretária de Justiça e Cidadania

 

O objetivo é promover um espaço de debate e reflexão sobre o papel das pesquisas e a importância do compartilhamento dos dados para o desenvolvimento do sistema socioeducativo. Para a secretária de Justiça e Cidadania, Marcela Passamani, a iniciativa é relevante porque “a comunidade científica tem a oportunidade de dialogar com os atores do sistema socioeducativo e promover a discussão sobre os aspectos éticos da pesquisa e o compartilhamento de medidas adotadas que obtiveram êxito”, explica.

 

Mentes inquietas

 

O colóquio vai contar com três mesas redondas, ao longo do dia, que discutem a importância do compartilhamento de achados de pesquisa para a política da socioeducação; as reflexões sobre violências de gênero no contexto socioeducativo e discussões sobre a formação de socioeducadores e seu fazer profissional, tendo o Meio Aberto como campo de pesquisa.

 

A Sejus, por meio da Subsis, é responsável pela execução das medidas socioeducativas destinadas aos adolescentes que cometem ato infracional. As medidas têm como intuito oferecer programas educacionais que disseminem valores éticos de irrestrito respeito à dignidade da pessoa humana. No DF há nove unidades de internação.

 

Carolina Plentz, chefe da Unidade de Gestão da Medida Socioeducativa de internação (UNINT), elogiou a dedicação e persistência para a manutenção da EDS. “O campo da socioeducação é inspirador e, ao longo dos anos, tem sido um campo vibrante de pesquisas que buscam o aprimoramento do sistema socioeducativo”, afirma.

 

Segundo Tiago Rizzotto, especialista Socioeducativo da EDS, é importante compreender como a pesquisa pode impactar a prática. “Pesquisar é por excelência procurar a verdade. Muitos renunciam a esse dever, mas é preciso uma inquietude quanto ao estado das coisas. Deve haver um inconformismo constante diante da crueza da realidade”, destaca.

 

Ética em pesquisa

 

Para orientar a pesquisa científica no âmbito da Subsis, foi publicada a Portaria nº 459, de 3 de maio de 2024. O intuito é estabelecer normas para padronização dos procedimentos, com ênfase no acompanhamento das diversas etapas do processo e na promoção do seu desenvolvimento eficaz, contribuindo para a qualidade e progresso contínuo das atividades de pesquisa e o aprimoramento do acesso aos resultados e divulgação, tanto para os servidores, quanto para a sociedade.

Governo do Distrito Federal