Governo do Distrito Federal
6/12/22 às 13h24 - Atualizado em 14/12/22 às 17h47

Sejus ressalta ações de respeito e conscientização em prol da população negra do DF

Em novembro o país inteiro reforça a importância da temática da Consciência Negra. No DF, a Secretaria de Justiça e Cidadania é a pasta responsável pela defesa dos Direitos Humanos, especialmente da população negra. No último mês a pasta desenvolveu diversas atividades alusivas ao mês de conscientização.

 

A maior parte das atividades foram desenvolvidas nas Estações Cidadania (antigo CEUS das Artes) e Praças dos Direitos, unidades da Secretaria de Justiça e Cidadania sob gestão da Subsecretaria de Políticas de Direitos Humanos e de Igualdade Racial, e que integram em um mesmo espaço ações nas áreas de educação, cultura, esporte, meio ambiente, assistência social, lazer, formação profissional, dentre outras, em territórios de alta vulnerabilidade social do Distrito Federal.

 

O mês de novembro foi marcado por diversas ações em alusão ao Dia Nacional da Consciência Negra, celebrado em 20 de novembro e que relembra a morte de Zumbi dos Palmares, último líder do Quilombo dos Palmares, assassinado em 1695. A data é de suma importância para a luta, a resistência e, principalmente, para o enfrentamento ao racismo e a discriminação contra o povo negro, ainda tão presentes em nossa sociedade.

 

Durante a programação foram realizadas palestras, rodas de conversa, workshops, Mostra de Fotografias da Exposição “Song of my People” e apresentações de atividades artísticas e culturais diversas, tais como rodas de capoeira, saraus, hip hop, mostras de cinema e apresentações de dança.

 

Para a secretária de Justiça e Cidadania, Marcela Passamani, tais ações objetivara contribuir para conscientizar e sensibilizar a sociedade acerca da desigualdade racial no país.” A Sejus trabalhou todo o ano de 2022 com ações e criação de programas e projetos ligados à defesa dos direitos dos negros, como a CNH Social, parceria com o Detran-DF que permitiu a negros, indígenas, pessoas trans, idosos, vítimas de violência e egressos do sistema socioeducativo a oportunidade de obterem gratuitamente a CNH, além disso, houve criação de programa de reserva de vagas com cotas para negros em estágios, a criação do Fluxo Distrital de Atendimento às Vítimas de Trabalho Escravo (FLUVE), entre outros”, ressalta a gestora.

 

Vale ressaltar a realização da V Conferência Distrital da Igualdade Racial, realizada pela Sejus, através do Conselho Distrital de Promoção de Igualdade Racial (Codipir), ocorrida de 8 a 10 de novembro de 2022, com o tema “Enfrentamento ao racismo e às outras formas correlatas de discriminação étnico-racial e de intolerância religiosa: Política de Estado e responsabilidade de todos nós”, a qual objetivou a construção conjunta de propostas para a promoção de políticas de enfrentamento ao racismo e de igualdade racial.

Texto: Daniela Uejo – Ascom/ Sejus-DF

Governo do Distrito Federal